Case de Sucesso: Indústria de Papel e Celulose

Suzano

Implementamos nosso sistema radiométrico para a detecção de rejeitos de nós de madeira, garantindo a continuidade das operações da Caldeira na linha de Fibras.

O que você vai aprender nesse case?

Se você quer saber como implementamos nosso sistema radiométrico para a detecção de rejeitos de nós de madeira e assim garantindo a continuidade das operações da Caldeira, você deve ler agora este conteúdo. Aqui você vai encontrar:

Sobre a Suzano

A Suzano Papel & Celulose S.A. em 93 anos de história se tornou uma das mais tradicionais organizações empresariais privadas do Brasil. É a segunda maior produtora global de celulose de eucalipto. Tem unidades industriais presentes nos estados de São Paulo, Bahia e Maranhão. Produz cerca de 4,7 milhões de toneladas de papel e celulose por ano. Com bases florestais de eucalipto sendo desenvolvidas desde o ano de 2008, a Unidade de Imperatriz foi inaugurada no ano de 2014. É uma das mais modernas do mundo. Sua capacidade produtiva é de 1,5 milhões de toneladas/ano e ocupa uma área total de 1,5 milhão de m², sendo 96 mil m² de área construída.

Imperatriz | MA

O Desafio

descarte de nós de madeira
descarte de nós de madeira

Na área de Cozimento (Linha de Fibras) existe um processo chamado Descarte de Nós de Madeira. Os nós de madeira são aquelas pequenas áreas escuras de formato arredondado que vemos nas madeiras. São desnecessários para a fabricação do papel e por isso são descartados durante o processo. Inicialmente, quando a unidade foi projetada, foram especificados instrumentos de tecnologia Vibratória e Pá Rotativa para o processo de descarte de nós de madeira. Porém, essas tecnologias mostraram-se ineficientes e incapazes de efetuar uma medição de nível correta. O descarte de nós de madeira nesta tubulação possui fluxo descendente. Além disso, existe a presença de licor no produto, de propriedade corrosiva, viscosa, incrustante e de alto valor dielétrico por conta da soda cáustica presente na composição. Todos estes fatores dificultavam uma medição de nível intrusiva, o que acabava causando alarmes falsos de nível e entupimento da tubulação. Um grande transtorno para o fluxo de produção, pois tanto o material como os trabalhadores têm pausas recorrentes e não programadas durante o processo. A ausência de uma medição confiável impactava negativamente a eficiência operacional. Ocorriam paradas que chegavam a 15 dias na caldeira. Tudo isso acarretava bastante desperdício de tempo em manutenções periódicas para limpeza dos sensores de nível existentes anteriormente e desentupimento dos tubos devido à incrustação.

Fatores Críticos

Matheus cardoso | technical solution specialist

Matheus cardoso

technical solution specialist

Somos líder em tecnologia radiométrica há mais de 30 anos no Brasil. Para a medição de grandezas físicas de processos industriais da modalidade apresentada nesta solução, os sistemas LINCE contaram com a parceria da Vega. A combinação resultante proporcionou o que há de mais inovador em tecnologia neste mercado. Apresentamos uma medição precisa, durável, confiável, e visando sempre o compromisso e proteção aos funcionários e meio ambiente. Além disso, priorizamos uma taxa de exposição mínima, contida por encapsulamentos e blindagens de altíssima qualidade.

A Solução

descarte de nós de madeira
descarte de nós de madeira

POINTRAC 31 Foi aí que a LINCE entrou provando de forma altamente engenhosa que a medição radiométrica seria a única tecnologia que atenderia ao processo plenamente. Era fundamental apresentar um equipamento que não exigisse contato direto com o produto e fosse de extrema confiança em sua medição. A solução foi a Chave de Nível Radiométrica para montagem em tubulação. O modelo usado foi a PoinTrac31, com cintilador em PVT de 6’’, em conjunto com uma blindagem de fonte radioativa modelo SHLD1, com atividade de apenas 1mCi (Césio 137). Fabricamos e fornecemos também, uma abraçadeira totalmente customizada para acomodação do sistema na tubulação.

Resumo do Sistema

Compartilhe